segunda-feira, 30 de agosto de 2010

Tarde de domingo

Filha, dá o controle pra mãe, não muda de canal tô vendo a Pantera cor de rosa...

Não, dá aqui pro pai, quero ver o desenho do Avatar...

Dá pra mamãe, dá.

Dá pro papai, filha.

Pra mãe...

Pro pai...

E Sophia coloca em um canal de trilhas sonoras e sai dançando pela sala com o controle remoto na mão, ignorando completamente NOSSA criancice.

segunda-feira, 23 de agosto de 2010

Debaixo dos caracóis dos seus cabelos...

Cortei o cabelinho da SoSô! É, eu mesma sim. Não, não sou cabelereira. E tirando as minhas bonecas e minha própria franja, esta foi a primeira vez que cortei um cabelo. Sábado de noite estávamos dando banho nela, olhei aquele cabelinho já quase estilo chitãozinho na parte de trás, ela sentadinha na banheira brincando com os patinhos, olhei pro Tony: Bem que eu podia cortar o cabelo da Sophia, né? Claro, pode cortar! Fui lá, peguei a tesourinha e tac tac. Depois de cortar, coloquei as madeixas no lixo e ele olhou pra mim incrédulo: não vai guardar? Como assim guardar cabelo molhado? Daí me lembrei que normalmente as mães guardam as primeiras coisas que caem (ou saem) dos bebês. Sophia, filha querida, não guardei teu umbiguinho, porque achei que seria meio nojentinho. Não guardei tua primeira unha porque eu não vi onde ela saltou. E não guardei a primeira mecha de cabelo também. No dia seguinte até dei uma olhadinha no cesto do lixo, peguei o chumacinho de cabelo, até que já estava bem sequinho, mas ele era tão pequeninho que só de pegar já se desmanchou todo.
Vai se acostumando filha, mamãe não é lá muito tradicional. Acho que já deu pra notar, né. Quem sabe quando cair o primeiro dentinho...

sexta-feira, 20 de agosto de 2010

Sophia descobre Belinha

Esta semana a Sophia resolveu declarar seu amor pela Belinha. É claro que ela já curtia a Belinha, chamava de Au Au, mas esta semana todos os dias na chegada da escolinha ela dá oi pra Belinha, quer tocar nela, conversar, enfim, trocar uma idéia com nossa cã!
A Belinha tem idade incerta, quando eu a adotei ela havia sido recolhida de uma lata de lixo, com as duas patinhas da frente quebradas por seres humanos (????), mas ela não tá nem aí, caminha com as patinhas traseiras, superou e seguiu a vida com a gente. Quanto aos seres humanos que fizeram isso com ela...
Belinha no niver da SoSô
Bem, mas o que eu queria contar é que não só a Sophia descobriu a "Béinha", como a Belinha também tá adorando voltar a ser paparicada, pois desde que a bebê chegou eu não consegui mais me dedicar como antes pra bichinha (a cã). Agora, carinhos e atenções já estão sendo melhores divididos e Belinha volta a sorrir.

segunda-feira, 16 de agosto de 2010

Almoço de domingo

Escolhemos um restaurantezinho meio metido a besta numa daquelas ruas chiquezinhas do Moinhos (pra não dizer a mais chique). Apesar de preferirmos um bom vegetariano na Redenção ou até mesmo um japa duvidoso na Osvaldo. Mas é que eu tinha meus cuponzinhos do peixeurbano. Devidamente acomodados após termos tirado tudo de bonitinho que tinha em cima da mesa pra Sophia não comer, não lamber, não quebrar, não atirar no garçom ou fazer qualquer outro lançamento a distância, fui servir uma saladinha enquanto o Tony segurava a onda e esperávamos o pedido. Quase que simultâneamente com a chegada do pedido, nossa doce bebê começa a se espremer até ficar vermelha, roxa, preta com bolinhas. Em seguida ela dá uma levantadinha de bundinha na cadeirinha pra se acomodar melhor, e lógico, conseguir mais espaço na fralda. Em seguida outra esprimida, agora acompanhada de um longo gemido e uma caretinha fofa que ela faz, quando faz. A estas alturas nossos chiques vizinhos de mesa olhavam, cochichavam, riam, desistiam de almoçar, enfim, cada um fez o que o seu coração mandou. E a Sophia fez um belo cocozão. Pra completar não tinha fraldário no restaurante chique. Tive que ir até o carro livrar o corpo daquela criança de todo o mal.
Abaixo restaurantes sem fraldário.
Sophia feliz e aliviada voltou pra casa nanando como anjo que é.
E nós no final, como sempre morremos de rir de tudo.

sexta-feira, 13 de agosto de 2010

Momentos de Sophia...

Eu e a teta. A teta e eu. Amo muito tudo isso!

Êba, cheguei na escola!

Me solta mãe, quero ver Papatá!
Me larga pai, quero ver Papati!

Papati Papatá

Aiiiii, eu amo eles!
Santa bagunça Batman.

quinta-feira, 12 de agosto de 2010

Noite de Sophia

A Sophia ontem à noite assistindo o dvd do Patati Patatá, começou a dançar como sempre faz, mas acrescentou um movimento novo à dança: aquela abaixadinha com a bundinha (tipo dança da garrafinha, credo!). Nem acreditei, aquele toco de gente com 1 ano 3 meses! Quem ela pensa que é?
Só conseguimos morrer de rir pasmos diante de nossa pequena dançarina.
Detalhe, a estas alturas ela já havia levado dois hiper tombos: um na hora de sair da escolinha, que resultou num beicinho roxo e inchado e o segundo foi quando chegamos em casa, uma mega cabeçada na parede da cozinha que quase quebrou o azulejo. Pra fechar a noite, depois da dancinha da garrafa, mais uma cabeçadinha, desta vez de leve no sofá, o que nos fez encerrar a fatura e levar a pequena infante pro berço.

terça-feira, 10 de agosto de 2010

Frase

Sophia com o controle remoto na mão, na frente da tv, solta sua primeira frase de duas palavrinhas:
" Bota Papati "
Traduzindo: Bota Patati (dvd do Patati Patatá que assistimos aproximadamente 670 vezes neste final de semana).
É por isso que eu chamo
Minha flor, meu bebê!

sexta-feira, 6 de agosto de 2010

TaTaTa !!!

P a p a i,
Se eu já soubesse escrever iria fazer uma cartinha pra te dizer que eu te amo muito, muito, muito. Iria te falar também que eu não sei se tu és o melhor pai do mundo, mas se eu tivesse que escolher um pai no universo todinho, o escolhido seria tu. Queria escrever papai, que eu gosto muito do jeito que tu me explica a maneira certa de fazer as coisas, com tanto carinho e paciência. Que eu adoro quando chega a hora do banho porque a gente brinca bastante. Que eu te admiro quando te vejo lendo livros sobre a educação dos filhos querendo sempre fazer o melhor pra mim e para os meus irmãos. Da segurança que eu sinto quando tu pega a minha mão e quando tu me abraça. E sabe papai, quando a gente brinca juntos é a melhor coisa do mundo, é a parte do dia que eu mais gosto.
Ah papai, eu adoro também no final do dia quando tu vais me buscar na escolinha, minhas amiguinhas até já comentaram comigo outro dia lá na pracinha: “Nossa Sophia, que pai mais gatinho que tu tem”. E eu falei pra elas que além do meu pai ser lindo, também é muito inteligente, bondoso e divertido.
Eu adoro papai quando tu escolhe a roupa que eu vou colocar, a mamãe diz que não tá combinando, mas fica tudo muito mais colorido. Eu adoro quando tu faz careta, quando tu canta na hora de lavar a minha mão (“Lava outra, lava uma MÃO”), quando tu compra aquele monte de coisa pra mim pela internet: cadeirinha pra bici, capacete, joelheira, termômetro com infra vermelho, nebulizador com elefantinho cor-de-rosa, cadeira das princesas, DVDs dos Backyardigans, fraldinha mega confortável... tem umas coisas que eu nem sei pra que servem ainda, mas o que eu sei é que tudo é feito com muito amor.
Sorriso lindo de Papai lindo!
Papai, obrigada por ter me dado meu primeiro banho, por ter trocado minha primeira fralda, por ter me ajudado tanto para que eu aprendesse a caminhar, por ter me deixado cair e levantar sozinha, por fazer minha mamadeira de manhã, por me encher de beijinhos, por cantar pra mim, por me ensinar as palavrinhas, Ufa! tanta coisa legal que tu faz por mim: obrigada por ser este pai tão abençoado que eu amo do fundo do meu coraçãozinho.

terça-feira, 3 de agosto de 2010

A Sophia e a Filosofia

A palavra filosofia é de origem grega. É composta por duas outras: philo e sophia. Philo deriva-se de philia, que significa amizade, amor fraterno, respeito entre os iguais. Sophia quer dizer sabedoria e dela vem à palavra sophos, sábio.
Filosofia significa, portanto, amizade pela sabedoria, amor e respeito pelo saber. Filósofo: o que ama a sabedoria, tem amizade pelo saber, deseja saber. Assim a filosofia indica um estado de espírito da pessoa que ama, isto é, daquela que deseja o conhecimento, o estima, o procura e o respeita.
Pitágoras de Samos teria afirmado que a sabedoria plena e completa pertence aos deuses, mas que os homens podem desejá-la ou amá-la, tornando-se filósofos. “Quem quiser ser filósofo necessitará infantilizar-se, transformar-se em menino”. (M. Garcia Morente).

Gostamos da filosofia lá em casa. Tranquei o curso no semestre em que a Sophia nasceu (mas vou voltar!). Com o Antonio aprendo muito e sempre, filósofo nato que é. Desse nosso gostar do pensar e indagar, saiu o nome de Sophia, escolha minha (seria Ângelo se menino fosse, escolha do Antonio).
As crianças já são pequenos filósofos, perguntam muito e questionam tudo assim que aprendem a formar as frases. É fantástico. Nós também fomos assim um dia. Com o passar dos anos vamos aceitando as coisas prontas e por prequiça deixamos de questionar. Início do processo de emburrecimento, pois onde não há questionamento, não existem dúvidas, não surgem novas idéias, novas possibilidades, cores novas.
Espero ansiosa pela enxurrada de “porquês” da Sophia. Sei que para muitos não terei respostas (bendita internet), mas iremos sempre incentivá-la a levar a vida com filosofia, seja qual for a filosofia de vida por ela escolhida. Que tenha sempre amor, amizade e a sabedoria que traz em seu nome.