sexta-feira, 12 de outubro de 2012

Tchupitchos

Dentre as muitas coisas amadas que uma menininha de três anos e meio faz, uma coisa encantadora é criar suas próprias palavrinhas. Sophia faz isso o tempo todo, seja brincando, em suas conversas sozinha (que eu adoro ouvir), ou cantando. E num belo dia ela começou a me chamar de Tchupitcha, e ao papai, de Tchupitcho. E assim, o apelidinho pegou. No início, teve uma noite em que ela fez uma manha pra dormir à noite e começou a me chamar: "Mamãe, mamãe..." Chamou algumas vezes, como eu não fui, ela mudou de tática: "Tchupitcha, Tchupitcha!" E agora, quando estamos conversando, normalmente, ela me sai com um: "Né, Tchupitcha?". Então, eu que já tive alguns apelidos nessa vida, acabei de ganhar o apelidinho mais amado do mundo. Filhos: melhor tê-los!